Crepúsculo pra rir

    E isso é o máximo que acontece em TRÊS FILMES!

    Antes que alguém pense que mais um desses filmecos de sátira surgiu e, desta vez tira uma com a “tchurminha do barulho” de Crepúsculo, já aviso: o próprio terceiro filme da saga, Eclipse, já se adianta às avacalhações (que logo logo também estarão por aí).

    Bom, pra você aí viciadão na saga eu já posso ir direto ao ponto. Praqueles orgulhosos que (dizem) não conhecer nada da saga, pule para o resumão ao final do post.

    O terceiro filme continua com a mesma fórmula dos anteriores: a cara de cavalo, o vampiro cintilante e o lobisomem bombadão. O que deixa Eclipse mais engraçado e talvez menos odioso que os anteriores é que os produtores devem ter se ligado que o filme era tão zoado que resolveram tirar uma com eles próprios. O triângulo amoroso protagonizado pelos animais cavalo – morcego – cachorro encheu tanto a paciência no anterior que a disputa do Edward e do Jacob ganhou um tom de provocação mais agradável aos pobres namorados que são obrigados a acompanhar as namoradas no cinema (pelo menos muitos deles riram no cinema). Ênfase para as tiradas do canino, que soltou uma pro sanguessuga no melhor estilo “Admit it, I’m hotter than you”. Sim Jake, nós concordamos em todos os sentidos.

    Pra quem quer saber um pouco mais da história, a coisa fica um pouco decepcionante. Além de tudo o que já aconteceu nos anteriores, os únicos acontecimentos mais “tchans” do filme são a formatura da Bella e a morte da Victoria (se importou com o spoiler? Ué, mas achei que você nem conhecia a saga). Aliás, a morte da Victoria é tão ridícula que todo mundo riu quando viu o corpo dela decapitado como se fosse uma estátua de gesso.

    Acho que o dilema do filme era “será que a Bella está certa ao querer se envampirar?”. Mas isso ficou muito em segundo plano diante da guerrinha vampiro x lobisomem pela adolescente que não merecia nenhum dos dois. Sério, ela está mais chata do que no segundo filme (o que eu achava cinematograficamente impossível).

    Vale? Depende, dos filmes, até agora, é o que acontece menos eventos importantes. Acho que dá pra pular tranquilo do 2 pro 4 sem muito prejuízo. Dá pra pular a saga inteira também, mas né? Dá pra assistir pelo simples prazer de poder falar mal depois. Pra quem não gosta mas conhece um pouco, vale pelas piadinhas em referência aos anteriores. Ou pelo menos pra ter o que falar nas rodinhas de conversa (porque eu sei que as pessoas ao seu redor assistem Crepúsculo!).

    Resumão

    Nunca viu Crepúsculo e começou a namorar aquela gatinha fã da saga que te arrastou pro cinema? Seus amigos só falam em “Team Edward” ou “Team Jacob e você não sabe o que é isso? Ou você é do tipo que pode nem conhecer algo direito mas ama vir cheio de opinião? Don’t worry, com esse resumão você economiza ingressos pro cinema, trocados pra locadora ou pelo menos 6h da sua vida.

    Crepúsculo: adolescente com cara de cavalo chamada Bella vai morar com o pai num fim de mundo que lembra as florestas do Zé Colmeia. Lá ela conhece um bando de esquisitões que são, na verdade, um bando de vampiros. Mas não do tipo que nos acostumamos a ver em Drácula, Entrevista com o Vampiro ou ainda Vamp. Eles brilham no sol, aparentemente não têm problema com alho, são super rápidos e não dormem em caixões. Ela, que se acha “a” adolescente esquisitona se apaixona por Edward, o vampiro mais… hã… delicado que acharam. Aparentemente só no mundo dos vampiros a Bella é gostosa, o que atrai três vampiros “do mal” pra beber o sangue dela. Um deles morre, dois se escafedem, ela quebra uma perna e vem com essa de querer virar vampira. Tem também um amigo indígena dela com cara de boliviano que a gente nem presta muita atenção.

    Lua Nova: a cara de cavalo e o vampiro purpurinado continuam namorando, mas agora Edward fica meio de saco cheio da Bella e resolve dar um vazare, alegando que seria mais seguro pra ela (aham, senta lá Cláudia). Como ela é esquisitona ela enlouquece e passa boa parte do filme tentando se matar. O amiguinho boliviano, Jacob, aparece todo bombado e cheio de amor pra dar mas vira lobisomem. Não lembro como (e provavelmente não é importante) o Edward acha que a cara de cavalo morreu e, ao invés de sair por aí curtindo a morte, resolve cometer um suicídio vampiresco, que consiste no promíscuo ritual de tirar a roupa à luz do dia pra mostrar COMO ELE BRILHA!!! Enfim, a Bella chega a tempo de impedir isso e o purpurinado volta pra ela. Porém, a equina sabe demais e só tem duas opções: morrer ou virar vamp. Ou seja, tudo o que ela mais quer no mundo! Eles prometem que ela vai levar uma mordida no pescoço mas nada acontece. Jacob e Edward já começam a se estranhar (como se não bastasse eles serem de raças rivais, disputam a mesma rapariga). Dakota Fanning aparece mas a gente mal se toca que é ela.

    Shiny happy people taking shirts

    Eclipse: lobisomem e vampiro continuam se estranhando. A viúva do vampiro que morreu no primeiro filme aparece pra montar um exército de vamps pra matar a Bella e, de quebra, alguns do clã Cullen também. O tempo pra Bella virar morcego está se esgotando e ela aceita se casar (pasmem, virgem) com o Edward (que também é virgem, mas isso não nos impressiona porque ele não tem sangue no corpo, né?). A viúva morre e a Dakota Fanning vai dedar pro chefe que a Bella ainda é humana. Jake descobre que a cara de cavalo vai virar morta-viva e, só de raiva, passa 99% do filme sem camisa pra mostrar à Bella o que ela vai perder.

    E isso é o máximo que acontece em TRÊS FILMES!

    Compartilhe: