Milagre na Cela 7 | O filme que quer suas lágrimas

    Milagre na cela 7

    Um dos maiores (e inusitados) sucessos da Netflix é o filme turco Milagre na Cela 7. A produção é um remake do original sul-coreano de 2013, que rendeu várias adaptações de outros países, incluindo esta. O melodrama é uma mistura de À espera de um milagreUma lição de amorMulheres de areia, com toques de novela mexicana. Ficou confuso? Vamos lá!

    O tema central aqui é o relacionamento de Memo (Aras Bulut Iynemli) com sua filha Ova (Nisa Sofiya Aksongur). Apesar de ter deficiência intelectual, Memo é um pai amoroso que, apesar da vida humilde, faz o que pode pela felicidade da pequena – bem na vibe de Uma Lição de amor com Tonho da Lua no lugar de Sean Penn. Ele cuida de sua filha com a ajuda da avó, já que a mãe de Ova faleceu quando ela era muito pequena.

    Milagre na cela 7

    Mas a relação afetuosa e um tanto mágica dos dois sofre uma dura separação quando Memo é acusado injustamente de ter matado a filha de um militar e, sem nenhum direito a defesa, é levado para a prisão. A coisa é bem injusta mesmo, com direito a fazê-lo “assinar” confissões à força. Além de ir para a prisão comum em vez de uma instituição psiquiátrica, ele também não tem direito a visitas, deixando a separação de Ova ainda mais dolorosa.

    Lógico que o ingresso dele na prisão não é dos mais fáceis, principalmente ao ser inserido em uma cela com vários criminosos. Apesar da hostilização inicial, Memo acaba conquistando os colegas com sua pureza e ingenuidade, levando-os a perceber a injustiça que está sendo cometida com o personagem. Algo que lembra uma versão mais superficial e menos mística de John Coffey em À espera de um milagre.

    A partir daí Milagre na Cela 7 se empenha em buscar formas de provar a inocência de Memo e permitir que ele se reencontre com Ova. Um enredo que não parece justificar as mais de duas horas (2h12, pra ser mais preciso) de investimento na trama.

    Aras Bulut Iynemli em Milagre na Cela 7

    Afinal, Milagre na Cela 7 vale a investida?

    Em primeiro lugar é preciso esclarecer que se trata de uma história genuinamente triste, principalmente no que diz respeito a todas as injustiças cometidas com Memo. A trama sozinha é capaz de sensibilizar até as mais frias audiências. Acrescente isso ao carisma de Aras Bulut Iynemli no papel principal e os grandes olhos azuis da pequena Nisa Sofiya Aksongu e você já tem um prato cheio de lágrimas do público.

    O problema é que o filme não se contenta com isso e utiliza ainda mais artifícios para arrancar suas lágrimas. O drama dá lugar ao melodrama e até a uma manipulação de sentimentos com fatídicas cenas que enfatizam ainda mais a tristeza da separação, embaladas, é claro, por uma trilha sonora de destruir corações. The choradeira is real!

    Nisa Sofiya Aksongur

    Quando caímos no campo do melodrama a aposta fica um pouco mais alta, já que algumas audiências se sentem realmente mais tocadas por estes elementos. No entanto, a própria história acaba perdendo força com estes artifícios e parte do público pode se sentir manipulada de forma barata e acaba até se irritando com um filme que parecia tão genuíno.

    Apesar do roteiro sair fragilizado, a atuação de Aras Bulut Iynemli deve ser reconhecida. Mesmo um pouco caricato, o personagem consegue transmitir a pureza necessária, a malícia inocente de uma criança e o carisma necessário para que você torça pelo personagem e se sinta pessoalmente incomodado se algo de ruim acontecer a ele.

     

    Milagre na cela 7

    O design de produção é um tanto curioso, ainda mais pelo meu desconhecimento ocidental de como seria a Turquia na década de 1980. Se eu não soubesse do país e não ouvisse o idioma, arriscaria que a coisa toda se passa no México. A tal da cela 7 parece ter saído de algum dos dramalhões mexicanos exibidos pelo SBT nos anos 1990 e até a professora de Ova tem vibes pesadas da Professora Helena de Carrossel.

    Se você gosta destes dramalhões, está na bad e quer botar tudo pra fora com todas as suas forças, Milagre na Cela 7 pode ser uma pedida interessante para ajudar no seu desgraçamento. Agora, se o melodrama não é muito a sua praia, pode passar batido no catálogo com a paz de espírito de que não está perdendo nenhuma obra-prima. Entenda: o filme quer suas lágrimas, mas você pode escolher depositá-las em outro lugar, como boletos, por exemplo.

    Nota:

    Imagens: O3 Turkey Medya

    Veja também: Dramas para assistir na Netflix

    Compartilhe: