Oscars Vorazes: Roteiros

    Na reta final do Oscar, o Zimema traz os grandes combates do próximo dia 2 nas principais categorias. Depois de ter assistido a todos os indicados a Melhor Filme, vi que a coisa está super equilibrada neste ano (o que é ótimo para o cinema, mas péssimo para os meus chutões). Como geralmente eu fico entre dois em todas as categorias (e provavelmente a Academia também), destaco os pesos pesados do Oscar 2014.

    Hoje é dia de medir as melhores histórias. Os roteiros são as categorias que eu mais levo em consideração na hora de gostar de um filme, por isso costumo ser contra filmes muito bem feitos, mas com uma história fraca. Nesse ano a galera caprichou e a disputa vai ser acirradíssima, principalmente entre os seguintes competidores:

     

    Melhor Roteiro Original

     Her vs american hustle

    Spike Jonze x Eric Warren Singer e David O. Russel

     

    As duas histórias que chegam com força neste Oscar são bem distintas: um cara que se apaixona pelo seu sistema operacional e dois trambiqueiros que ajudam o FBI numa emboscada pra pegar políticos corruptos. O plot twist de Trapaça é bem interessante, mas pra quem já está acostumado com filmes deste tipo a coisa estava até meio previsível. Ainda assim, a trama de Eric Warren Singer e David O. Russel não deve ser ignorada, já que levou o BAFTA desta categoria.

    Pra mim, a pira do Spike Jonze em Ela vem com muita força neste ano, reforçada por diversos prêmios de roteiros. Dessa vez, o cara que nos colocou dentro da cabeça de John Malkovich cria uma história em que um homem solitário, que está passando por um divórcio, se apaixona pelo seu sistema operacional de inteligência artificial. É quase como se o HAL 9000 fosse apaixonante e tivesse a voz da Scarlett Johansson.

    Zinema Awards: por mais que eu considere os dois candidatos muito bons, o meu xodó nesta categoria é Nebraska. A história do velho que inventa de ir buscar seu suposto prêmio milionário de qualquer jeito envolveu não só a família dele e a cidade natal por onde ele passa, ganhou o meu coração com tiradas de humor em uma história que tem tudo pra dar errado (com os protagonistas). Não se afastem pelo fato de ser um filme em P&B, a trama vale muito à pena.

     

    Melhor roteiro adaptado

     wolf vs 12 years

    12 anos de escravidão x O lobo de Wall Street

    Duas histórias baseadas em fatos reais e com protagonistas super fortes. De um lado, Solomon Northup, um homem livre que é sequestrado para ser vendido como escravo a fazendeiros do sul dos Estados Unidos e que enfrenta todos os tipos de violência típicos daquela época. É uma saga comovente e que dá um tapa na cara de muita gente e na própria Hollywood, que dificilmente retrata a violência contra escravos de uma forma tão crua. A produção conta com um super apoio do Reino Unido (o The Guardian que o diga).

    A história de Jordan Belfort também choca, mas de uma forma mais divertida. Scorsese cansou de fazer filmes na forma do Oscar e voltou com as suas histórias repletas de drogas, peitos, bundas, e atuações memoráveis de boa parte do elenco. É um dos raros casos em que um filme de quase três horas me deixou ligada do início ao fim (sem espiar as horas no celular pra ver quanto tempo falta pra acabar).

    Zinema Awards: por mais que eu seja apaixonada pela trilogia do Richard Linklater (que concorre por Antes da Meia-Noite), dessa vez o meu coração fica com Scorsese. Só ele e o seu humor super ácido pra me engajar em um filme longo sobre investidores na bolsa de valores. Aliás, só ele pra deixar uma história tão pesada super divertida.

    Não se lembra dos outros competidores? Confira aqui a relação completa de indicados.

     

    Compartilhe: