Time's Up
Como o #MeToo e o Time’s Up devem influenciar o Oscar
21/02/2018
Trama Fantasma
Trama Fantasma | Refinado e complexo como um vestido de alta-costura
27/02/2018

As 12 maiores injustiças do Oscar

Maiores injustiças do Oscar


 

Todo ano tem aquela categoria do Oscar que a gente simplesmente não consegue concordar com a premiação. É claro que em muitos casos envolve gosto pessoal e a gente entende por que tal filme levou no lugar do nosso preferido. Mas olhando para as premiações da história do Oscar não é difícil perceber que nem sempre é o melhor que ganha. Com distanciamento histórico fica muito mais fácil encontrar estes erros (se bem que tem uns que a gente já percebe na hora). Separamos aqui apenas algumas das muitas injustiças já cometidas pelo Oscar:

1. Hitchcock nunca ter sido premiado

Sim, o mestre do suspense e um dos diretores mais cultuados e estudados da história do cinema nunca ganhou um Oscar de direção. Seu filme Rebecca até chegou a levar Melhor Filme, mas o prêmio foi para o produtor David O. Selznick. Depois a Academia ainda deu daqueles prêmios de conjunto da obra, mas né? Tiveram várias oportunidades de dar um prêmio decente pro Hitchcock.

Maiores injustiças do Oscar: Hitchcock

 

2. Cidadão Kane ganhar apenas um Oscar

Pode ver: qualquer lista que tente mostrar os melhores filmes de todos os tempos vai ter Cidadão Kane no pódio. Ainda assim, no Oscar de 1942 o filme levou apenas uma categoria das nove em que estava indicado: Melhor Roteiro Original. Sim, Orson Welles perdeu categorias como Melhor Filme, Direção e Ator naquele ano. Duas delas foram para Como era verde o meu vale, que não aparece nem nas 20 primeiras posições nas listas de melhores filmes e muita gente nem ouviu falar.

Maiores Injustiças do Oscar: Cidadão Kane

 


 

3. Judy Holliday ganhar de Bette Davis e Gloria Swanson no mesmo ano

Não deve ter sido fácil escolher a vencedora da categoria de Melhor Atriz em 1951, mas a dificuldade seria obviamente entre Bette Davis, por A Malvada, e Gloria Swanson, por Crepúsculo dos Deuses. Por isso é ainda mais difícil entender como que o prêmio foi parar nas mãos de Judy Holliday, por Nascida Ontem. Bette e Gloria passavam pela mesma situação: duas grandes atrizes retornando às telonas e às premiações. A curiosidade é que dizem que Davis foi prejudicada pela colega de filme Anne Baxter, que fez campanha para ser indicada a Melhor Atriz e não a Coadjuvante (que era o lugar dela). Muito parecido com a história de usurpação de A Malvada.

Maiores injustiças do Oscar: A Malvada

 

4. A Cor Púrpura não levar nenhum Oscar

A Cor Púrpura é provavelmente o filme com o maior número de indicações a não levar nenhuma estatueta: foram 11 oportunidades e nenhum prêmio. Tá certo que em muitos casos o filme perdeu para Entre dois amores, que também era um forte competidor, mas não envelheceu tão bem. Agora tem categorias que não dá pra entender, como a Whoopi Goldberg perder Melhor Atriz pra Geraldine Page e o Spielberg não ter sido nem indicado pra Melhor Direção. Nem a ótima trilha do Quincy Jones conseguiu levar uma estatueta pra casa. Assim fica difícil te defender, Oscar.

Maiores injustiças do Oscar: A cor púrpura

 

5. Shakespeare Apaixonado levar 7 Oscars!

Se tem injustiça por um filme não levar Oscar nenhum, tem aqueles que a gente simplesmente não entende como ganharam tanta moral. Bom, hoje a gente até entende: Harvey Weinstein. Mas pensa, aquele filme conseguiu levar sete Oscars pra casa! Incluindo Melhor Filme e Melhor Atriz pra Gwyneth Paltrow e seu vestido de iogurte. Pensa que ela ganhou pra cima da Fernanda Montenegro por Central do Brasil e da Cate Blanchett por Elizabeth. E quanto a Melhor Filme, lembrem que aquele ano teve O Resgate do Soldado Ryan, que pelo menos deu o Oscar de direção pro Spielberg. Também era o ano de O Show de Truman, que nem indicado a essa categoria foi. Aliás, perdeu a de Roteiro Original pra Shakespeare Apaixonado. Nem o próprio Shakespeare concordaria com isso.

 

6. Hattie McDaniel segregada na sua noite de vitória

A gente sabe que o racismo pegava muito forte nos Estados Unidos antes da década de 1960, mas a coisa era absurda mesmo. Olha só: em 1940 a Hattie McDaniel foi a primeira mulher negra a ser indicada e a vencer no Oscar (pelo filme … E o vento levou). Sim, isso só foi acontecer na 12ª edição da premiação. Mas mesmo com essa baita conquista, ela foi segregada na plateia. Ou seja, ela não pôde ficar com o restante do elenco do filme durante a premiação porque negros tinham que ficar separados. Uma conquista gigante da atriz com esse gosto amargo da ignorância da época.

Maiores injustiças do Oscar: Hattie McDaniel

 

7. Cantando na Chuva não ter levado nada

Mais um clássico injustiçado no Oscar. Mesmo se você nunca assistiu esse filme você já ouviu sobre ele e sabe captar algumas referências. Você sabe que se trata de um clássico. Agora olha só: o filme só foi indicado a duas categorias no Oscar de 1953! E nem foi coisa grande não, foi só pra Atriz Coadjuvante (Jean Hagen, que está ótima) e Melhor Trilha Sonora. E pra piorar, nem nessas ele foi premiado. Quem levou Melhor Filme naquele ano foi O Maior Espetáculo da Terra, de Cecil B. DeMille. Eu entendo a importância da filmografia dele, mas nesse ano o Oscar errou feio.

Maiores injustiças do Oscar: Cantando na chuva

 

8. Oliver! levar Melhor Filme e 2001: Uma Odisseia no Espaço fora do páreo

Outro diretor injustiçado pela Academia foi Stanley Kubrick. Em 1968 ele criou um marco no cinema com a ficção científica sensorial 2001: Uma Odisseia no Espaço. Agora adivinha se o filme foi indicado na categoria principal? Claro que não. O Kubrick até chegou a ser indicado para Direção, mas o filme amargou somente o prêmio de Efeitos Especiais. Agora me pergunta quem ganhou naquele ano: Oliver! Quem é Oliver? O que ele come? O que ele tem de tão especial pra roubar esse Oscar? Este é um mistério maior do que o fim de 2001

 

9. Apocalypse Now perder para Kramer vs. Kramer

O Coppola é quem é hoje por duas coisas: O Poderoso Chefão (só os dois primeiros, pfvr) e Apocalypse Now. Ainda assim, o segundo levou apenas Oscars técnicos de Fotografia e Som. Naquele ano o melhor filme foi Kramer vs. Kramer, que a gente só lembra mais por causa da Meryl Streep e do Dustin Hoffmann. O que pode ter prejudicado o Coppola nessa foi que no ano anterior o vencedor foi O Franco Atirador, que tem uma temática parecida. Provavelmente o Oscar não quis premiar um filme de guerra de novo no ano seguinte (e não importa se o filme do ano seguinte for melhor).

Maiores injustiças do Oscar: Apocalypse Now

 

10. Os Caçadores da Arca Perdida não levar Melhor Filme

Uma vez o James Cameron reclamou que a Academia tem preconceito com filmes mais comerciais. Em alguns momentos eu até concordo com ele. Um destes momentos é pensar que Os Caçadores da Arca Perdida não levou o Oscar de Melhor Filme em 1982. E não foi um ano muito difícil pra escolher. Quem levou foi Carruagens de Fogo, que hoje é mais lembrado pela trilha do Vangelis do que pelo filme em si.

Maiores injustiças do Oscar: Caçadores da Arca Perdida

 

11. Touro Indomável perder para Gente como a gente

Uma das maiores injustiças que o Oscar correu o risco de cometer foi de nunca ter premiado o Martin Scorsese, mas felizmente isso aconteceu com Os Infiltrados. Mas antes disso, o Scorsese teve pelo menos um Oscar claramente roubado: Touro Indomável perdeu Melhor Filme e Direção para Gente como a gente, filme de estreia do Robert Redford como diretor. Preciso nem dizer de qual deles você ouviu falar mais, não é mesmo? Pelo menos o filme não foi roubado na categoria de Melhor Ator, que naturalmente foi pro Robert De Niro.

Maiores injustiças do cinema: Touro Indomável

 

12. Excesso de indicações de Meryl Streep

Com este aqui eu provavelmente vou criar muitas inimizades, mas vou colocar mesmo assim. Há alguns anos eu fiz piada de que existe um sistema de cotas para a Meryl Streep. Ano passado a Sonia Braga deu uma entrevista dizendo que pra categoria de Melhor Atriz existem apenas quatro vagas, porque uma é sempre da Meryl. Pode parecer exagero, mas não é um exagero maior do que algumas indicações para a Meryl. Sim, eu a amo. Baita atriz da p*[email protected] e tals, mas com 21 indicações e três vitórias não dá pra dizer que a taxa de aproveitamento dela é muito boa, né? Ou seja, a Academia ama indicar a Meryl, mesmo quando ela não tem chances reais de ganhar. Vou dar apenas alguns exemplos recentes: Julie & Julia, Álbum de Família e Caminhos da Floresta. Precisava? Sério que nesses anos não tinha mais ninguém pra indicar? Sem contar em 2017, que ela foi indicada por Florence: Quem é essa mulher? e deixou a Amy Adams de fora por A Chegada. Academia, vamos combinar o seguinte: só indiquem a Meryl quando ela tiver reais chances de ganhar, senão só parece preguiça de vocês em conhecer o trabalho das demais atrizes.

Maiores injustiças do Oscar: Meryl Streep

Imagens: © 2007 CBS WORLDWIDE INC. / © Courtesy Everett Collection / © 1950 Twentieth Century Fox / © 1985 Warner Bros. Entertainment Inc. / © 1998 – Miramax /  John Kobal Foundation – © 2010 Getty Images / © 1952 – MGM / © Warner Bros. Entertainment In / © 1979 – United Artists / © Lucasfilm Ltd. & TM / United Artists – © 2012 Getty Images  Christopher Polk – © 2017 Getty Images

Veja também: Como são escolhidos os vencedores do Oscar

Compartilhe: